top of page
Buscar
  • Foto do escritorDiogo Braga Crônicas

RINHA DE ROLA (Crônica n°62)

Atualizado: 3 de nov. de 2021

Na casa da minha sogra há um ritual. Quase todo fim de tarde a avó da minha esposa pega um pratinho cheio de alpiste e coloca no muro da casa. Quase que imediatamente o muro é infestado daquela ave que é o minicraque do pombo: a rolinha. (Não, este texto não é sobre a rola que você pensou.) Depois que faz isto ela senta uns minutos e, dando risadas, fica observando as rolas se digladiarem disputando a comida em uma espécie de rinha da natureza, um ufc das aves.


É um ritual subversivo, porque ninguém aprova e, aparentemente, gera somente negatividades. A minha sogra reclama da bagunça que elas fazem espalhando sementes pelo chão, minha esposa reclama que a rola é igual pombo, um bicho sujo que traz doença, a madrinha se junta ao coro dos vizinhos que reclamam das fezes que elas espalham no muro e em seus arredores. Mas a avozinha não liga, quase toda tarde ela vai lá com seu pratinho em mãos e a passos curtos, chega ao lado do muro, estica os braços enrrugadinhos, coloca o apliste e observa por uns minutos.


Um dia estávamos todos sentados na varanda, conversando, quando vêm ela devagarinho e coloca o alpiste atraindo aquela imensidão de rolas. Todas, aparentemente iguais, começaram a se degladiar. Nós observamos também. E por um tempo aquele espetáculo nos proporcionou um entretenimento maior que qualquer enlatado de hollywood, passamos a distinguir as rolas e a torcer para as mais franzinas enquanto tecíamos comentários como “aquilo alí é covardia, dois contra um não vale”, “vai vai, pega ela” ou “deixa de ser boba, revida, revida”!


Passamos a tarde dando risadas juntos e observando aquela rinha de rolas, de cabeça alta prestando atenção no mundo em vez da cabeça baixa remexendo o celular. Naquele dia eu entendi o valor daquele ritual subversivo. Apoio a rinha de rola.

03/12/2020 (Crônica n° 62)

Diogo Braga Crônicas




Crônicas em podcast, Spotify (Braga Crônicas), Instagram (@DiogoBragaCronicas) e Youtube (Braga Crônicas). Medium (@bragacronicas).



--- E se você se identificou ou gosta das histórias que eu conto, comenta, salva, compartilha, se inscreve, ativa as notificações, mostra pro coleguinha, faz tudo e me ajuda a espalhar a palavra! E se você quer compartilhar uma história sua comigo, me manda um e-mail para bragacronicas@gmail.com ou me envia um áudio pelo direct do instagram que é @diogobragacronicas.


No mais, meus votos de uma vida com gosto de açúcar nos lábios e até a próxima!


Diogo Braga.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

TODO GATO É MALVADO (Crônica n° 82)

“Todo gato é malvado!” Tento incutir na cabeça da minha filha de 4 anos. “Não é não, gato é bonzinho” ela responde me dando língua. É inocente quem pensa que os pais têm o poder absoluto de moldar a

TRADIÇÃO DE DIOGOS (Crônica n° 81)

Na minha família há uma tradição de Diogos. No caso, o nome mesmo. E meu pai, de nome Diogo, em um momento de curiosidade, contou, fez uns telefonemas para os familiares, primos próximos e distantes e

UVAS DESCOBRIDORAS (Crônica n° 80)

Comendo uvas, estava eu jogado e embriagado de sono na mesa do café. O pote de sorvete à minha frente, sem sorvete, apenas um cacho onde em cada gravetinho morava uma uva verde e eu, aleatoriamente, p

Comments


bottom of page