top of page
Buscar
  • Foto do escritorDiogo Braga Crônicas

DILEMA MORAL IDIOTA (Crônica n° 72)

Estava eu nadando nas águas ferozes da praia de Itacoatiara em Niterói, quando senti um choque no pescoço. Foi como se eu tivesse tomado uma chicotada.


Me desesperei sacodindo os braços pra me afastar do que quer que tivesse me tocado e me debati para fora do mar. Saí da água tomando porrada das ondas fortes e gritei meu amigo. “Rodrigo, Rodrigo”. Ele ficou assustado com a dor que eu sentia e me disse que havia uma linha vermelha do pescoço descendo até a minha axila.


E enquanto eu urrava de dor ele falou que deveria ter sido uma água viva, uma caravela, talvez. Estávamos há uns 50 minutos de distância de qualquer hospital e eu já havia escutado que urina neutralizava queimadura de água-viva, portanto, implorei. “Rodrigo, urina em mim, AGORA”!


Foi um ato desesperado, a dor era tanta que eu não conseguia ficar parado, só queria que aquilo passasse, mas ele ficou inerte. Eu estiquei o pescoço mostrando a área ferida para ele e falei: “Rodrigo, RAPIDO! Se você é meu amigo DE VERDADE faz xixi em mim”!


Eu fiquei lá de olho fechado esperando aquele líquido quentinho escorrer minha dor para longe, mas, depois de alguns segundos atônito, ele se negou veementemente. “Não vou fazer.” Gritou ele gesticulando: “Um amigo de verdade não urina no outro”. Eu fiquei bravo. Limpei o pescoço do jeito que deu com água do mar e corremos para o hospital. Fiquei uns bons dias com o pescoço pulsando no lugar ferido. O tempo passou e eu descobri que a história de xixi curar queimadura de água-viva é crendice popular, fake news, mas aquele dilema moral ficou martelando na minha cabeça.


Urinar em um ser humano é naturalmente errado, mas se isto fosse aliviar um amigo de uma dor excruciante? Seria correto? Se ele tivesse me implorado pra aliviar a sua dor com urina eu, provavelmente, urinaria nele.


Mas à medida que o tempo passa eu entendo melhor que a atitude dele foi a correta. Não é porque alguma coisa é senso-comum que é a certa. As fake news estão aí, no passado da crendice popular, nas correntes de whatsapp, nas redes sociais... e elas não podem nos influenciar quando uma questão moral se apresenta.


Hoje eu compreendo a sapiência daquela frase “Um amigo de verdade não urina no outro”.


Ah...

Se você tem um amigo que já urinou em você, corte relações. e aproveita e marca ele nos comentários aqui em baixo (sem explicar nada) para expor ele perante sociedade.


24/05/2021 (Crônica n° 72)

Diogo Braga Crônicas


.

.

.

--- E se você se identificou ou gosta das histórias que eu conto, comenta, salva, compartilha, se inscreve, ativa as notificações, mostra pro coleguinha, faz tudo e me ajuda a espalhar a palavra! E se você quer compartilhar uma história sua comigo, me manda um e-mail para bragacronicas@gmail.com ou me envia um áudio pelo direct do instagram que é @diogobragacronicas.

No mais, meus votos de uma vida com gosto de açúcar nos lábios e até a próxima!

Diogo Braga.

.

.

Crônicas em podcast, Spotify (Braga Crônicas), Instagram (@DiogoBragaCronicas) e Youtube (Braga Crônicas). Medium (@bragacronicas).

.

Music from epidemicsound.com.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

TODO GATO É MALVADO (Crônica n° 82)

“Todo gato é malvado!” Tento incutir na cabeça da minha filha de 4 anos. “Não é não, gato é bonzinho” ela responde me dando língua. É inocente quem pensa que os pais têm o poder absoluto de moldar a

TRADIÇÃO DE DIOGOS (Crônica n° 81)

Na minha família há uma tradição de Diogos. No caso, o nome mesmo. E meu pai, de nome Diogo, em um momento de curiosidade, contou, fez uns telefonemas para os familiares, primos próximos e distantes e

UVAS DESCOBRIDORAS (Crônica n° 80)

Comendo uvas, estava eu jogado e embriagado de sono na mesa do café. O pote de sorvete à minha frente, sem sorvete, apenas um cacho onde em cada gravetinho morava uma uva verde e eu, aleatoriamente, p

Comments


bottom of page