top of page
Buscar
  • Foto do escritorDiogo Braga Crônicas

Batalha de poesia (Crônica n°49)

Atualizado: 9 de jun. de 2021

Eu fiquei sabendo que no Rio de Janeiro existe o Campeonato Estadual de Poesia Falada. Eu achei uma ótima iniciativa, mas do auge de toda minha ignorância me veio à mente a imagem Pablo Neruda batalhando com Vinícius de Moraes, ambos se encarando olho no olho, proferindo aos berros e arremessando palavras de amor junto a perdigotos. “de esperarte cuando no te espero pasa mi corazón del frío al fuego.” cospe Neruda evocando o poder do fogo enquanto Vinícius rebate destacando a brevidade da chama no verso matador “que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto dure”. “AAAAAAAiiiiiii”! A multidão erudita grita em êxtase. Certamente neste ambiente hostil estaria Augusto dos Anjos na beira do ringue incitando a violência: “escara nesta boca que te beija, escarra, escarra”!


Me pareceu uma imagem desconcertada uma batalha de poetas. Quem há de vencer uma batalha de amores “eu te amo um muito” enquanto o outro responde com um “eu te amo mais”! Não combina por estarmos um tantoacostumados com o conflito destrutivo, com a batalha depreciativa. Que mundo maravilhoso seria se o motorista estressadinho saísse do carro para arranjar confusão com o outro que lhe fechou e mandasse: “eu te amo meu amor, mas presta mais atenção na direção, por favor, não quero que sofras um acidente”! As brigas de transito seriam melhores, mas talvez o mundo seria um pouco mais chato também, né! Nem tanto, nem tão pouco.


O mundo precisa de amores, mas também de conflito e subversão, como Fernando Sabino que jocosamente transfigurou o verso de Vinícius para “que não seja imortal, posto que é chama, mas que seja infinito enquanto duro” e como o rap sempre faz, jogando na nossa cara a realidade de um mundo que não é todo amor.


Certamente a minha imagem de dois poetas se digladiando com versos de amor não corresponde à realidade do glorioso Campeonato Estadual de Poesia Falada, há muita poesia de contestação mundo, há muita poesia que precisa ser falada e jogada na cara. Mas gosto de pensar que se meu desaveio fosse realidade eu estaria lá ao lado de Augusto dos Anjos prestigiando o evento e gritando: “Escarra, escarra”!

(Crônica n°49) 19/11/2020

Diogo Braga Crônicas



Crônicas em podcast, Spotify (Braga Crônicas), Instagram (@DiogoBragaCronicas) e Youtube (Braga Crônicas). Medium (@bragacronicas).



--- E se você se identificou ou gosta das histórias que eu conto, comenta, salva, compartilha, se inscreve, ativa as notificações, mostra pro coleguinha, faz tudo e me ajuda a espalhar a palavra! E se você quer compartilhar uma história sua comigo, me manda um e-mail para bragacronicas@gmail.com ou me envia um áudio pelo direct do instagram que é @diogobragacronicas.


No mais, meus votos de uma vida com gosto de açúcar nos lábios e até a próxima!


Diogo Braga.


0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

TODO GATO É MALVADO (Crônica n° 82)

“Todo gato é malvado!” Tento incutir na cabeça da minha filha de 4 anos. “Não é não, gato é bonzinho” ela responde me dando língua. É inocente quem pensa que os pais têm o poder absoluto de moldar a

TRADIÇÃO DE DIOGOS (Crônica n° 81)

Na minha família há uma tradição de Diogos. No caso, o nome mesmo. E meu pai, de nome Diogo, em um momento de curiosidade, contou, fez uns telefonemas para os familiares, primos próximos e distantes e

UVAS DESCOBRIDORAS (Crônica n° 80)

Comendo uvas, estava eu jogado e embriagado de sono na mesa do café. O pote de sorvete à minha frente, sem sorvete, apenas um cacho onde em cada gravetinho morava uma uva verde e eu, aleatoriamente, p

Comments


bottom of page